quinta-feira, 19 de maio de 2011


Aromaterapia e Autoconhecimento

Em algum momento da vida é comum pararmos e questionarmos: “quem sou eu?”. Esta dúvida pode ser apenas a primeira de uma série de questionamentos a cerca de nossas próprias vidas. O autoconhecimento é nossa busca por nós mesmos, como somos, como reagimos a estímulos externos, nossos medos e nossas motivações, o que nos paralisa, o que nos tranquiliza, o nosso biorritmo, nossa mente! São tantas variáveis, tantas facetas que podemos passar uma vida inteira atrás de nós mesmos. Fantástico e assustador ao mesmo tempo! E nada melhor do que utilizar óleos essenciais para acalmar, clarear e encorajar neste processo tão intenso e revelador.

Quando levamos a vida na inércia, agindo de acordo conforme padrões pré-estabelecidos pela sociedade ou pela família, geralmente seguimos caminhos que não aqueles que nos levarão a uma sensação de plenitude, de saber quem realmente somos! Nos sentirmos incomodados com esta forma de viver é o primeiro indício de que nascemos cada um com nossas próprias individualidades e, desta forma, com nossos próprios “scripts” de vida. Quando estimulados desde crianças a desenvolver nossos potenciais, conseguimos crescer livres para encontrar nosso lugar neste mundão afora. Do contrário, acontece o que vemos aos montes: rigidez e dificuldade das pessoas em lidar com diversas situações, criando o que chamamos de couraças, impedindo nossa própria essência de aflorar. Doenças do corpo e da mente sinalizando que algo não vai bem, até que um grito interior nos faz acordar para uma nova vida.

Utilizar óleos essenciais implica em necessariamente cutucar a mente e as nossas emoções. É praticamente inevitável impedir reações de acontecerem quando se introduz no mundo dos aromas. Por isto, é pegar ou largar! Se entregar definitivamente ao mundo das emoções e do autoconhecimento ou fugir deles, suprimir o olfato ou a própria respiração. Como as pessoas vivem ser respirar? Sim, tem gente que vive sem identificar aromas ou mesmo sem respirar, ah, se tem! Se você for um deles, preste atenção. Sem uma livre respiração, não há como penetrar dentro de si mesmo. Por conta disto, as principais técnicas de autoconhecimento incluem a meditação e exercícios de respiração. Então, o primeiro passo é respirar.

Existe uma técnica de lavagem nasal, muito usada na Índia que é realizada com uma espécie de bule chamada de lota ou jalaneti que é muito útil em casos de rinite e sinusite crônicos. É preciso também aprender a respirar corretamente - a respiração abdominal, com inspirações e expirações mais profundas e longas. Respirando melhor, oxigenamos melhor o cérebro. Aí, sim, pode-se utilizar óleos essenciais como o de hortelã-pimenta para descongestionar a mente, manjericão para clarear as idéias e alecrim para aumentar a consciência mental. Junípero limpa emocionalmente. Esta etapa do processo pode dolorosa para quem não está acostumado a liberdade. E pode mudar a vida completamente. Para melhor!

Aí vem a ansiedade, a vontade de que tudo comece a acontecer. E o medo. O medo de não saber o que fazer, já que liberdade implica em vontade própria. O pássaro preso não precisa pensar, basta comer, beber água e cantar. O pássaro livre tem que voar para caçar, para fugir, para buscar moradia, para acasalar. Tem que fazer escolhas e estar atento. O ser humano tem uma mente diferenciada. E o medo é um dos componentes que garante a sua sobrevivência. Domar o medo é um desafio e neste momento. Óleos essenciais que fortaleçam a autoconfiança e a fé ajudam a perceber que não estamos sozinhos nesta empreitada e que podemos contar com uma força superior em nossa longa caminhada. Olíbano ajudar a confortar o coração e estabilizar nossas emoções. O junípero trabalha de forma semelhante, tendo sido usado extensivamente em templos tibetanos. Elimina a negatividade e fortalece a força de vontade. A lavanda, clássica para limpeza e purificação, alivia e dá paz, acalmando o coração. Lembrando que os cítricos dão leveza e trazem positividade e alegria, ajudando a vencer os medos. Gerânio e ylang-ylang ajudarão a equilibrar a ansiedade e o ylang-ylang especialmente a respiração e os batimentos cardíacos. Fechar os olhos durante a inalação dos óleos ajuda a percepção do ritmo corporal e mental, se auto-regulando, se acalmando, ficando propício para a jornada interior.

O agora passa a ser o mais importante e não mais o passado e o futuro. O passado ajuda a nos ensinar o que podemos fazer melhor e o futuro vai depender do que fizermos agora. Começar a ouvir nosso interior, nosso coração e nossa respiração quando nos deparamos com situações novas e inesperadas. E a intuição na hora de decisões que temos que tomar. Nos munir de conhecimento para embasar estas decisões de forma a termos segurança dos resultados. Nos permitirmos sentir medo, impaciência, raiva e outros sentimentos negativos e procurar saber o que os está motivando e como fazer para acalmá-los. Não suprimí-los. Usar o óleo de funcho-doce para ajudar em nossa auto-expressão e digestão das sensações que nos comem por dentro. Inalar muita bergamota quando o pessimismo aparecer ou o alecrim quando a autoestima baixar e sentir insegurança. Cipreste para dar vigor e muito cedro e sândalo quando sentir fraqueza. Vetiver ajuda na divagação excessiva, trazendo os pés para o chão, pois muita divagação impede a ação.

O autoconhecimento é um processo contínuo e crescente. E muito gratificante. Quanto mais nos conhecemos, menos frequentes são as sensações negativas ao meio externo. Medo, ansiedade, raiva, indignação, tristeza entre tantas outras passam a ser coisa do passado e mesmo quando houver, através de análises das reações do corpo e da mente, passa a ser ainda mais fácil corrigir rotas e atingir nossas metas de vida, nossos sonhos. Mas estes são assuntos para as próximas colunas!

Receitinha da semana:

Sinergia para se apresentar a si mesmo:

20 gotas de alecrim (exceto para hipertensos, epiléticos e grávidas)

20 goras de manjericão

10 gotas de olíbano

Misture tudo e pingue 10 gotas no difusor elétrico ou no rechô à vela, pela manhã.

Escrito por Beatriz Yoshimura, para o portal Você em Equilíbrio da Nextel

03/05/2011

2a Temporada - 3o artigo Nextel - Aromaterapia e Autoconhecimento - 4-5-2011

Um comentário:

Claudiaroma disse...

Belíssima postagem....a hora que as pessoas descobrirem o poder dos óleos essenciais, com certeza o mundo vai melhorar...bjs