segunda-feira, 9 de junho de 2014

Minha bartolinite e eu

Pelo Wikipedia:
"Bartholinite é a inflamação das glândulas de Bartholin, que são glândulas acessórias dos genitais externos femininos.
É uma acumulação de fluido purulento numa das glândulas produtoras de muco que se localizam de cada lado da porção terminal da vagina – glândulas de Bartholin; apresenta-se como uma massa (“inchaço”) quente, vermelha e muito dolorosa, de tal modo que o simples acto de caminhar ou estar sentada se torna quase impossível.

Tratamento

Os “banhos de assento” com água quente (35ºC) 4 vezes ao dia geralmente proporcionam algum alívio e podem ajudar a localizar a infecção e mesmo precipitar a drenagem espontânea. Contudo, nem sempre ocorre a resolução do problema, uma vez que o orifício de ruptura espontânea é muito pequeno e fecha rapidamente, pelo que a drenagem não é completa.
Assim, o tratamento que proporciona maior alívio e recuperação mais rápida consiste na drenagem através de uma incisão cirúrgica, que pode ser realizada com anestesia local num consultório médico. Podem ser prescritos antibióticos, mas, geralmente, não são necessários se o abcesso for drenado correctamente.
Pode ser considerado o procedimento de marsupialização em mulheres com abscessos recorrentes. Uma pequena abertura para facilitar a drenagem é cirurgicamente criada."

Entretanto, por experiência própria e como o próprio Wikipedia informa, nem sempre a drenagem é completa e o problema pode persistir por até meses!

Em minha experiência (nada agradável), na primeira vez, pela dor excessiva, fui parar no Pronto Socorro, onde a médica de plantão fez uma incisão cirúrgica, que foi bem sucedida, sendo seguido de tratamento com antibiótico e anti-inflamatório. Isto deve ter de quatro a cinco anos pra trás.

Neste ano (abril de 2014), antes de uma viagem internacional, senti o incômodo novamente e já imaginando ser a "mardita", fiz algumas banhos de assento com argila verde, tintura de confrei e óleo essencial de tea tree. O que segurou um pouco o inchaço. Lá fora (Londres), continuei fazendo duchas ultra quentes. Isto durou uns 10 dias. No dia em que voltei pro Brasil, já fui direto pro consultório ginecológico, onde minha médica fez uma punção e quase desfaleci de tanta dor, mesmo com anestesia local, que a médica disse não ter efeito (mas que eu insisti na aplicação mesmo assim, patife que sou). Ela usou uma seringa de metal, com uma agulha daquelas, nada fininhas. Senti alívio após a punção e segui tratamento com antibiótico e anti-inflamatório por 10 dias, findos os quais, percebi que o alívio fora temporário. "Eu que não volto ao consultório para sentir aquela dor horrorosa e voltar tudo como estava novamente!". Fiz mais um banho de assento com argila, confrei e tea tree. E a mesma receita, na forma de uma compressa local, seguindo a receita:

1 colher de sopa de argila verde Panizza (argila verde tem o poder de puxar tudo o que é pernicioso ao corpo, tem mil e uma utilidades, confira em minha Oficina de Argilas, Tinturas e Óleos Essenciais)
1 colher de café de tintura de confrei Panizza (indicada para abscessos)
Hidrolato de tea tree Bio Essência para diluir até formar uma massa lisa, mas firme.
3 gotas de óleo essencial de tea tree Bio Essência (Bactericida, fungicida, antisético, cicatrizante, etc.)
Misturei tudo e muito bem para ativar as propriedades da argilas.
Com uma espátula, coloquei a massa de argila num quadradinho de algodão.
Acomodei a massa na vagina, bem na região da lesão (bartolinite) e imediatamente vesti a calcinha com um absorvente. Dormi. Acordei de manhã e fui fazer minhas correrias matinais. Fui à feira e comprei frutas e uma nova bacia para o banho de assento, a qual apelidei carinhosamente de "escalda-bunda" ou "escalda perereca", se for para um uso ou outro rs. Temos que levar tudo na esportiva, não é?
A caminho do trabalho, senti descer algo quente entre as pernas e, animada, saí correndo. Lavei bem a bacia, despejei as compras da feira na cozinha e fui pro banheiro. Deu certo!!!! Escorreu bastante pus!
Fiz mais vinte minutos de banho de assento com os mesmos ingredientes, até drenar bem. E repeti por mais uns dois dias, quando todo o pus e inchaço foi-se embora! Xô, purulência nojenta! rs

No local, para cicatrizar rapidamente, passei um bálsamo feito de óleo vegetal de copaíba Bio Essência (santo copaíba, anti-inflamatório e cicatrizante, entre outros) 10ml e 5 gotas de óleo essencial de gerânio, que ajuda a estancar o sangramento.

E ponto final. Porém, é muito importante, para evitar este e outros problemas nas "partes mimosas", como gosta de chamar a região minha querida Sônia Hisch:
1) calcinhas devem ser lavadas com sabonete líquido ou detergente especial, jamais sabão em pedra, que pode acumular bactérias, se forem lavadas no chuveiro. Depois devem ser secas ao sol ou passadas a ferro. Ah, e calcinhas sempre de algodão, jamais tecidos sintéticos, que não deixam a região respirar.
2) após cada relação sexual a região deve ser bem lavada para evitar proliferação de bactérias e outros microrganismos indesejáveis.
3) quem tem tendência a candidíases e corrimentos e possui a região muito úmida, secá-la com secador a cada vez que lavar no chuveiro ou com ducha higiênica.
4) Duchas vaginais e banhos de assentos quando sentir necessidade, com duas colheres de tintura de barbatimão e 5 gotas de óleo essencial de tea tree em meio litro de água quente. A bombinha de ducha vaginal deve ser sempre esterilizada com água fervente. Muitos médicos não gostam da ducha, pois alegam que podem  causar infecção ou acabar com a flora local, por isto indico sempre sua esterilização e que façam seu uso com orientação médica. Para tinturas, as melhores são do www.panizza.com.br, mas podem ser feitas em casa. Com a máfia da indústria farmacêutica hoje é mais difícil prepará-las, por isto, quem tiver dificuldades, melhor comprar direto na Panizza.

Bom, quem tiver dúvidas, pergunte por aqui, mas pode também me escrever no bya_sansei@htomail.com onde vejo diariamente. Me adicionem no Facebook que também sou "fácil" no contato por lá! Coloquem seus depoimentos, especialmente se positivos para ajudar outras pessoas, ok?

Todos ingredientes são facilmente encontrados em casas de produtos naturais, nas www.hncristiano.com.br e na www.aromalife.com.br.

Abraços a todos, sem bartolinites e demais "ites".
Ah, em tempo: nada aqui tem a pretensão de substituir o tratamento médico. São apenas depoimentos de experiência pessoal.

Beatriz Yoshimura
Aromaterapeuta